RIMAS DAS MINHAS INSÓNIAS

RIMAS DAS MINHAS INSÓNIAS
ebook
Ficha Técnica
ISBN:
978-989-52-0826-5
EAN:
9789895208265
Páginas:
322
Derechos eBook:
Copiar/pegar: Prohibido.
Imprimible: Prohibido.
DRM
No
Idioma:
PORTUGUES

3,00 €
Comprar

Muitos dos críticos da poesia actual que se querem dar ares de modernos e de severos, entendem que deixou de haver lugar para os versos rimados, face à explosão libertadora do verso branco ou livre, em que o poeta espraia a sua expressão poética sem as peias da rima. Mas, na verdade, a poesia não receia nem repudia qualquer forma; e serve-se abertamente em rima, em verso solto, em prosa poética, em aliterações e sonoridades, e até em imagens, no caso das experiências concretistas e/ou da poesia visual. Creio que não valerá a pena citar os casos de Graça Moura, ou de Borges, ou ? por todos ? de Vinicius, que lançam indistintamente e sem qualquer rebuço mão de todas as modalidades formais para a sua poesia; e a enunciam de modo sempre superior. É que a rima não desapareceu, nem pode desaparecer; e representa aliás, para quem a cultiva, um método mais difícil e de maior dedicação exigida a quem quer por ele atingir a comunicação poética. É preciso encontrar o ritmo e a narratividade pretendida dentro do quadro que a rima impõe. Noémia Urbano Pinheiro traz-nos, nesta recolha, a primeira publicação em livro de poemas seus, que já vinham circulando nas redes sociais. E é um claro exemplo de como se pode, sem excesso de purismos ou de classicismos, encontrar a tonalidade expressiva através da rima, seja ela perfeita ou imperfeita em termos meramente de classificação formal. Leia-se a abrir:Ó mar, do teu fascínio e poder/ se alimenta todo o meu ser!/ Atraída por ti, ó mar eminente,/ regozijo de alívio ao inalar, novamente,/ teu perfume a maresia. Ou mais adiante, e agora no idioma francês que a autora também domina:Jefouille au fond de moi-mêmeet/ je m'émerveille de trouver/ untrésorsanspareilcaché./Ungrandpuit si beau/ nepeutêtre que fermé à clé./ La générositél'ouvriraetce bel oiseau/ de monc?urjaillira à tout jamais! Que a rima espartilha, é certo; mas também incentiva; e também leva a indagação maior no campo da palavra. A este livro, o primeiro da autora, poderão naturalmente apontar-se algumas fragilidades, que são as de todos os primeiros livros; mas que no futuro a própria autora suprirá, escandindo nas estrofes o que se lhe afigure poder estar a mais; Mas a poesia está aqui, nas palavras e no canto de Noémia Urbano Pinheiro, ora amargurado, ora deslumbrado. E está, como toda a Poesia, em toda a sua graça, a sua inocência, o seu entusiamo. Fernando Cabrita