NãO ME CHAMEM BOM PAI

NãO ME CHAMEM BOM PAI
ebook
Ficha Técnica
ISBN:
978-989-777-154-5
EAN:
9789897771545
Derechos eBook:
Imprimible: Prohibido.
Copiar/pegar: Prohibido.
Compartir: 6 dispositivos permitidos.
DRM
Si
Colección:
PLANETA MANUSCRITO
Idioma:
PORTUGUES

10,99 €

Desde que sejamos pais ou filhos, todos teremos pontos de identificação e de reflexão ao ler este livro corajoso, invulgar e irreverente.

Da sua experiência como pai de quatro filhos, Nuno Graciano parte para uma análise ? e crítica ? no que toca à paternidade em geral, com afirmações, pouco usuais entre as figuras públicas portuguesas.

«Quem nos diz como proteger os nossos filhos dos males do mundo? Quem nos ensina a fazer deles adultos responsáveis? Onde está escrito que eles devem amar-nos e respeitar-nos até que a morte nos separe? O mais importante da paternidade não se aprende nem se ensina: nasce connosco.»

Destas ideias, e da sua experiência como pai de quatro filhos, Nuno Graciano parte para uma análise ? e crítica ? no que toca à paternidade em geral, com afirmações, pouco usuais entre as figuras públicas portuguesas. «Ser pai é ser e estar presente, ponto final. Essa deve ser a regra, não a excepção. Caso contrário, falamos de progenitores.»

Nuno Graciano não mede as palavras. Nem quando fala em programas televisivos de grande audiência, nem quando as escreve neste inspirador livro. Invulgarmente honesto e frontal, eis um autêntico manifesto pró-paternidade ? activa, próxima, dedicada. 

«Esqueçam a ideia de amor para a vida toda. Pelo menos no que diz respeito ao amor entre homens e mulheres ? ou entre casais do mesmo sexo, tanto faz. O ser humano é um animal naturalmente poligâmico e, como tal, só consegue ser monogâmico com uma dose brutal de espírito de sacrifício. A utopia da monogamia, imposta cultural e socialmente, só serve para criar uma pressão enorme nas relações.»

 

Pai de quatro filhos, voz muito crítica dos estilos mais alheados e irresponsáveis de parentalidade, Nuno Graciano, fala de si, dos filhos, e também dos pais e avós. Da própria infância à forma como educa Gonçalo, Tomás, Matilde e Maria ? com regras e pontos em que se assume intransigente, mas sempre com carinho e honestidade ?, o apresentador de televisão e empresário abre-se num testemunho íntimo e emotivo, sem fugir à controvérsia.

Ao longo do livro o autor faz comparações e analogias com a paternidade no reino animal. Esses textos são destacados em caixas.

Prefácio de Carolina Ortigão Pinto