AZIMUTE - 27.946 MILHAS AO REDOR DO GLOBO A BORDO DE UM VELEIRO

AZIMUTE - 27.946 MILHAS AO REDOR DO GLOBO A BORDO DE UM VELEIRO
ebook
Ficha Técnica
ISBN:
978-989-52-0213-3
EAN:
9789895202133
Páginas:
256
Derechos eBook:
Copiar/pegar: Prohibido.
Imprimible: Prohibido.
DRM
No
Idioma:
PORTUGUES

3,00 €
Sin stock
Comprar

Em pleno Oceano Índico, noite escura, um navio guina agressivo e repentinamente contra um veleiro de cruzeiro. Certeza de colisão. Afundamento imediato sem sobreviventes. No timão do veleiro, o brigadeiro José Salazar Primo, em fração de segundo, avalia o perigo. Antigo piloto de caça da FAB, treinado para decidir rápido, comanda uma manobra não prevista nos manuais de navegação e de guerra naval: investe contra o agressor, proa contra proa. Em segundos, cruzam-se os bombordos quase se tocando. Salazar arria rapidamente as velas, apaga as luzes de navegação e, a todo motor, desaparece na escuridão. Mas nem só de perigos desafiadores, de mares bravios, de temporais, vendavais e ventos de 70 nós (185 km/h), algo assustador, revestiram-se as velejadas desse cavaleiro do ar e de sua alma gêmea, mestres dos mares, companheiros nessa aventura pelos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico, que durou 32 meses e deixou na esteira do veleiro Cisne Branco 27.946 milhas náuticas, mais do que navegaram, para descobrir as Antilhas e Porto Seguro, Colombo e Cabral somados várias vezes. Aportaram em três continentes, pisaram em ilhas exuberantes em fauna, flora e praias paradisíacas, conviveram com povos que cultivam tradições centenárias. Nas dezenas de marinas e ancoradouros em que fundearam, fizeram amizade com centena de outros navegadores. Registraram no livro de bordo todas essas passagens, com cores vivas e linguagem de tal modo atraente que nos induzem a navegar com eles. Façam uma boa leitura na certeza de que igualmente esfrutarão de uma aventura inesquecível convivendo com golfinhos, pássaros marinhos, atuns, dourados, baleias, tubarões e crocodilos australianos de água salgada -mantidos à distância, como convinha. O Cisne Branco vos acolhe de boreste a bombordo, de proa à popa, velas enfunadas, pronto para a partida. Embarquem. Boa viagem. Abraços, Lúcio Wandeck