MEMÓRIAS DE UMA COPA NO BRASIL

MEMÓRIAS DE UMA COPA NO BRASIL
ebook
Ficha Técnica
ISBN:
978-989-51-2336-0
EAN:
9789895123360
Páginas:
180
Derechos eBook:
Copiar/pegar: Prohibido.
Imprimible: Prohibido.
DRM
No
Idioma:
PORTUGUES

3,00 €
Comprar

A avenida Paulista estava tinindo de bacana, torre de babel à paulista - muito verde e amarelo (sem constrangimentos ou vergonhas, sem pedir licença ou desculpas, ainda bem), torcedores e bandeiras da Croácia, do México, da Bélgica, da Itália, da Colômbia, do Chile, da Argentina, da Costa Rica, do Equador, da Inglaterra. (...) No Castelão, respeitando a história, comecei torcendo para o Uruguai, que saiu na frente. Pênalti. A torcida foi ao delírio. 'Celeste, cada dia te quiero mas'. Aos poucos, o clima mudou. A Costa Rica tomou conta do jogo. Uruguaios calados. Tensos. Camisas vermelhas pulando e cantando. Empate. Ticos, ticos! (...) Quanto está o jogo dos azuis? Minha agonia terminou assim que pude religar o celular, no saguão do aeroporto, em Guarulhos. Mais de 40 mensagens num grupo do uatzap praticamente narravam a partida da França inteirinha. (...) Uma bola estourada por Muslera. O zagueiro inglês salta. Não alcança, só resvala. Suárez filma o lance. Parte. Ganha na corrida. Balaço de direita. "Soooooooy Celeste"! O artilheiro uruguaio pegou pouquíssimas vezes na bola. Resolveu a parada. O cavaleiro templário desabou. Ficou calado, até o final do jogo. (...). Foi quando Messi decidiu que era hora de acabar com aquele tango. Grudou a bola no pé. Cortou para a esquerda. Espaço mínimo. Bateu. Com curva. Vi de frente. Cena de cinema. Quadro aberto. O goleiro pulou. Quase tocou. Não deu. A pelota estufou a rede. Explosão no Mineirão. (...) Luiza e Daniel, depois do terceiro gol da Alemanha, choravam copiosamente. "Pai, é a primeira Copa que estou vendo de verdade. Queria tanto ver o Brasil campeão. Não acredito. O que está acontecendo? O que é isso? Você acha que ainda dá para empatar? O que o Felipão vai fazer? Quem pode entrar? E agora, pai?" (...) O escritor colombiano Gabriel García Márquez dizia que somos aquilo que lembramos. Memórias. As de junho/julho de 2014 vou carregar sempre comigo. Foi uma linda Copa do Mundo no Brasil. Inesquecível.