DIÁRIO ÍNTIMO DA DIETA DE UM MÉDICO

DIÁRIO ÍNTIMO DA DIETA DE UM MÉDICO
ebook
Ficha Técnica
ISBN:
978-989-51-3462-5
EAN:
9789895134625
Páginas:
134
Derechos eBook:
Copiar/pegar: Prohibido.
Imprimible: Prohibido.
DRM
No
Idioma:
PORTUGUES

3,00 €
Comprar

Esta é a primeira descrição a nível mundial da variante cetogénica quântica da dieta mediterrânica. A variante cetogénica quântica, restringe os farináceos na sua quase totalidade, daí a sua capacidade e o impacto penetrante de controlar e curar de vez as doenças crónicas pertencentes ao universo da síndrome metabólica (o conjunto de doenças como a diabetes, hipertensão, aumento do colesterol no sangue, as doenças osteoarticulares, as doenças mentais, a epilepsia, e outras doenças imunológicas de causa desconhecida) descrita ao longo deste livro. Assim, nesta versão cetogénica, mais de 80% será gordura, cerca de 15% de proteínas e, finalmente, menos de 5% carboidratos ou farinha (açúcar). Este cenário nutricional é completamente diferente da composição da dieta tradicional, incluindo a mediterrânica. A palavra cetogénica provém de cetose, isto é, um estado do metabolismo bioquímico, fisiológico e nutricional em que o corpo utiliza principalmente os corpos cetónicos dos ácidos gordos, provenientes da degradação da gordura, para a produção de energia. Quais são estes corpos cetónicos provenientes da transformação bioquímica da gordura? São essencialmente 3 ? acetona, ácido beta-hidroxibutírico e ácido acetoacético. Estes 3 ácidos cetónicos constituem, assim, um tipo de energia limpa, não poluente e saudável, para o nosso organismo. Convém realçar que a gordura que dá origem a estes corpos cetónicos no organismo pode ser tanto gordura vegetal (tipo azeite, óleo de coco, de palma, abacate, linhaça, girassol, canola, milho, etc.), como animal (banha, manteiga, queijo, carne gordurosa, ovos, leite, etc.). Sendo assim, a gordura é um grande amigo do homem, contrariando os dogmas nutricionais do passado. Esta é a primeira descrição a nível mundial da variante cetogénica quântica da dieta mediterrânica. A variante cetogénica quântica, restringe os farináceos na sua quase totalidade, daí a sua capacidade e o impacto penetrante de controlar e curar de vez as doenças crónicas pertencentes ao universo da síndrome metabólica (o conjunto de doenças como a diabetes, hipertensão, aumento do colesterol no sangue, as doenças osteoarticulares, as doenças mentais, a epilepsia, e outras doenças imunológicas de causa desconhecida) descrita ao longo deste livro. Assim, nesta versão cetogénica, mais de 80% será gordura, cerca de 15% de proteínas e, finalmente, menos de 5% carboidratos ou farinha (açúcar). Este cenário nutricional é completamente diferente da composição da dieta tradicional, incluindo a mediterrânica. A palavra cetogénica provém de cetose, isto é, um estado do metabolismo bioquímico, fisiológico e nutricional em que o corpo utiliza principalmente os corpos cetónicos dos ácidos gordos, provenientes da degradação da gordura, para a produção de energia. Quais são estes corpos cetónicos provenientes da transformação bioquímica da gordura? São essencialmente 3 ? acetona, ácido beta-hidroxibutírico e ácido acetoacético. Estes 3 ácidos cetónicos constituem, assim, um tipo de energia limpa, não poluente e saudável, para o nosso organismo. Convém realçar que a gordura que dá origem a estes corpos cetónicos no organismo pode ser tanto gordura vegetal (tipo azeite, óleo de coco, de palma, abacate, linhaça, girassol, canola, milho, etc.), como animal (banha, manteiga, queijo, carne gordurosa, ovos, leite, etc.). Sendo assim, a gordura é um grande amigo do homem, contrariando os dogmas nutricionais do passado.